Segurança eletrônica: como isso pode me ajudar?

Com a crescente modernização dos sistemas tecnológicos a segurança eletrônica é, hoje, diretamente responsável pela diminuição de crimes contra a propriedade, tanto no setor privado quanto ao setor público, motivo pelo qual mais profissionais têm sido atraídos para essa área.

Pensando nisso, preparamos este post para apresentar informações importantes para aqueles que se interessam e têm curiosidade por essa área.



Quais são os objetivos da segurança eletrônica?


Inibir, detectar e comunicar, são os princípios chaves dessa comunicação e transmitem os objetivos quando falamos de soluções em segurança eletrônica.

Um sistema dessa categoria deve ser capaz de detectar uma invasão e proporcionar uma resposta rápida para evitar qualquer ação externa mal-interncionada.

Seu sistema detecta uma violação, há a comunicação direta às autoridades — por meio de uma pessoa que opera os equipamentos ou até mesmo por transmissão automática. Desse modo, as forças de segurança precisam responder o mais rápido possível para evitar qualquer dano ou comprometimento dos sistemas e equipamentos da sua instalação ou às pessoas e patrimônios do local.

Em primeiro lugar, há a inibição: o infrator se sente desestimulando a agir ao perceber a existência de um sistema completo de segurança.

Em segundo lugar, há a detecção: mesmo que o infrator continue a agir diante do sistema de segurança, dificilmente não será flagrado, quando suportado por equipamentos de tecnologia de ponta e profissionais bem treinados a situação.

Em terceiro lugar, após a detecção, temos a comunicação, é a etapa que pode ser checada até mesmo pelo celular do cliente do projeto eletrônico de segurança, de forma remota.


Quais são os equipamentos mais utilizados?


No amplo universo de equipamentos que compõem o universo da segurança eletrônica, podemos destacar as câmeras, os circuitos fechados de TV e os alarmes. Além disso, algumas funções são bastante exploradas pela indústria, como o telemonitoramento e a vigilância por vídeo. Confira alguns:


CFTVs

Entre as opções, o Circuito Fechado de Televisão, também conhecido no mercado como CFTV, é uma das que mais se destacam. Isso porque ele funciona como uma espécie de pacote completo, com a cobertura de amplas áreas por câmeras e otimizadas e por sua facilidade no monitoramento geral.

Com ele, o usuário consegue realizar a vigilância em tempo real da propriedade. Com a adoção de câmeras IP de alta resolução, as imagens capturadas são ainda mais detalhadas e transmitem uma maior riqueza de detalhes. É importante notar que isso é um grande diferencial na hora de repassar os vídeos às autoridades.


Câmeras


Quando pensamos em definir noções de segurança eletrônica, há uma boa chance de que as câmeras sejam os primeiros exemplos que nos venham à mente. Principalmente com a evolução desses equipamentos: hoje, podemos encontrar opções com infravermelho, que emitem ondas de calor destinadas a facilitar a movimentação de corpos.

O sistema direto de gerenciamento também evoluiu. Há a opção conhecida como NVR, dedicada integralmente a projetos digitais e o HVR, um híbrido de ferramentas analógicas e digitais. Não podemos nos esquecer do clássico DVR Stand Alone, ainda bastante utilizado no mercado.


Controles de acesso


Os controles de acesso são outra opção sofisticada para enriquecer a sua proteção. Eles são exemplificados pelos cartões de proximidade com senhas, de uso individual. Outra opção eficiente é o controle direto por biometria, que realiza o reconhecimento de características físicas do visitante.


Sistemas de alarmes


Outro exemplo bastante recorrente quando o assunto é segurança eletrônica, os alarmes são um sucesso duradouro no ramo. Principalmente porque são estruturas bastante completas, formadas por painéis, sirenes, sensores específicos e botões de pânico. Algumas opções, como os sensores de barreira com multifeixe ativo, capricham ainda mais na proteção que se tornam ainda mais sensíveis a movimentações estranhas no local.


Onde a segurança eletrônica é empregada?


Hoje em dia é possível projetar sistemas tanto em áreas externas quanto em áreas internas.

Outra particularidade interessante é que os projetos variam muito de tamanho. É possível encontrar sistemas completos em empresas de grande porte, em hospitais e aeroportos, mas também em residências menores e comércios mais modestos. Há uma solução para qualquer tipo de cliente. Além disso, o profissional de segurança eletrônica pode prestar serviços para órgãos públicos, integrando times maiores e ajudando a reforçar a vigilância de determinado município.

Essas foram algumas noções a respeito de como podemos utilizar a tecnologia como nossa aliada e ganharmos um pouco mais de conhecimento a respeito das preocupações e definições dessa área. Continue com a gente para acompanhar outras informações que abrangem esse ramo dos serviços terceirizados. Um grande até logo, Adler Serviços Terceirizados.

41 visualizações